A VERDADEIRA CARIDADE

No texto “Caridade com os Criminosos”, Elisabeth de França, em Havre, 1862, fala, no item 14, Capítulo XI de O Evangelho Segundo o Espiritismo, sobre a VERDADEIRA CARIDADE. 

Expressões referindo-se à “verdade” surgem no texto 04 (quatro) vezes. O texto aduz sobre perdão, misericórdia, indulgência, benevolência e, também, em IGUALDADE.

Quem são os criminosos? São CRIATURAS DE DEUS, diz o texto. Mas, e os demais? Uns, serão os VERDADEIROS DISCÍPULOS DA DOUTRINA DE DEUS. E tais discípulos são aqueles que praticam A PERFEITA FRATERNIDADE.

Esses discípulos verdadeiros sabem que Deus perdoa e é misericordioso com quem se arrepende dos seus atos, pois, até então, não conheciam a Deus. E para o ignorante será pedido menos, bem menos aos que se pretendem discípulos da Verdade.

Ora, se os criminosos e os infelizes merecem perdão e misericórdia, aqueles que não se julgam nessa condição carecem de INDULGÊNCIA, pois não param de pecar, eis que “há muitas ações que são crimes aos olhos do Deus de pureza, mas que o mundo não considera sequer como faltas leves”. 

Os discípulos verdadeiros, atualmente, praticam virtudes negativas e virtudes positivas:

a) Não julgam seus semelhantes (sejam criminosos e infelizes ou não);

b) Não recusam perdoar e comiserar-se com nenhuma criatura;

c) Dão esmolas acompanhadas de palavras de consolação;

d) São constantemente benevolentes para com o próximo;

e) Sabem que “muitas criaturas não necessitam de esmolas, e que palavras de amor, de consolação e de encorajamento conduzirão ao Senhor”; 

f) Consideram os criminosos como doentes muito necessitados;

g) Oram para esses infelizes dando-lhes assistência espiritual, a fim de que sejam tocados em seus corações e se arrependam de seus atos;

h) Consideram essa alma revoltada e transviada como um irmão que precisa aperfeiçoar-se como todos.

Predizendo a Era Nova Elisabeth de França declara que “aproximam-se os tempos [...] em que a grande fraternidade reinará sobre o globo”. 

Depreendemos do texto que a Terra é uma GRANDE UNIVERSIDADE. Filhos de um mesmo pai os grandes criminosos são, na verdade, instrutores, servem de ensinamento. Seus crimes são praticados devido à sua natureza inferior. Convivendo com eles somos levados à “prática das verdadeiras leis de Deus”. 

A IGUALDADE está na ação: NÃO DESPREZAR A NINGUÉM. Desta maneira TODOS SERÃO FELIZES. 

Portanto, podemos acabar com a onda de violência que parece reinar sobre a Terra. Cabe a cada um de nós PRATICARMOS VERDADEIRAMENTE AS LEIS DE DEUS.

Assim, os ensinamentos advindos da observação e convivência com os grandes criminosos não serão mais necessários. A VIOLÊNCIA CESSARÁ. A fraternidade reinará sobre a Terra.

E os nossos irmãos, que não compreenderam ainda as Leis Divinas, “serão dispersos pelos mundos inferiores, de acordo com suas tendências”. 

SÃO CHEGADOS OS TEMPOS!
Beto Ramos
Uberaba – MG, 31 de Dezembro de 2017.

Nenhum comentário:

GÊNESIS, PAULO DE TARSO, JOÃO E NÓS: A CAMINHO DA LUZ

Os antigos referiam-se à Criação usando expressões contendo uma ideia concreta, fazendo referência a evento que ocorreu pela primeira vez ...