PLANEJAMENTO REENCARNATÓRIO



“Se o teu olho direito te leva a pecar, arranca-o e lança-o fora de ti; pois te é mais proveitoso perder um dos teus membros do que todo o teu corpo ser lançado no inferno. E, se tua mão direita te fizer pecar, corta-a e atira-a para longe de ti; pois te é melhor que um dos teus membros se perca do que todo o teu corpo seja lançado no inferno.”
(Mateus, 5.29-30).

Na Colônia Espiritual NOSSO LAR, ligada às atividades do Ministério do Esclarecimento, há o Serviço de Planejamento de Reencarnações. É um programa que difere aos moldes padronizados para todos que estão no campo de manifestações puramente evolutivas. Para o Espírito que se eleva em cultura, conhecimento e responsabilidade, o processo reencarnacionista individual é mais complexo. As Colônias Espirituais mais elevadas mantêm serviços especiais para a reencarnação de trabalhadores e missionários.

Os TRABALHADORES são Espíritos não completamente bons e redimidos, mas, que apresentam maior soma de qualidades superiores, a caminho de vencer as condições e manifestações grosseiras da vida. São entidades em débito, mas, com valores de boa vontade, perseverança e sinceridade, que, por isso tem direito a influir sobre os fatores de sua reencarnação. De certo modo escapam ao padrão geral. Essas alterações nem sempre são agradáveis para a experiência futura. A queda é questão de aprendizado. Mas, o mal exige restauração e corrigenda.

A evolução confere poder. Todavia, se gasta muito tempo no aprendizado do seu uso harmônico. A racionalidade oferece campo seguro para o conhecimento, mas, demoram-se séculos no serviço da própria iluminação. Não basta adquirir ideias e possibilidades, é preciso ser responsável. Junto à informação do raciocínio deve-se adquirir a luz do amor e é daí que decorrem as lutas sucessivas em continuadas reencarnações do Espírito. A reencarnação corrige, renova, restaura e aperfeiçoa. A reencarnação é o meio e a Educação Divina é o fim.

De acordo com o ensinamento de Jesus quando afirmou que se a nossa mão ou os nossos olhos fossem motivos de escândalo deveriam ser cortados ao penetrarmos no templo da vida, compete-nos transferir a imagem literal para a interpretação simples do espírito.  Se já falimos muitas vezes em experiências da autoridade, da riqueza, da beleza física, da inteligência, não seria lógico receber idêntica oportunidade nos trabalhos retificadores.

Referindo-se ao Planejamento Reencarnatório no que tange ao vaso físico, é importante considerar que o Espírito de razão esclarecida, embora não iluminado, que permanece após a morte em estado de queda, somente volta à escola física após a intercessão de corações amigos de plano mais alto, benfeitores que cooperam com o mesmo endossando as promessas no serviço regenerador.

As criaturas em esforço puramente evolutivo e que não carecem de retorno à vida física em condições dolorosas, contam com o concurso abençoado dos trabalhadores espirituais que velam na Terra pela execução dos trabalhos reencarnacionista em processos naturais.

Em matéria de provas e expiações os defeitos físicos auxiliam os Espíritos que já provaram dos fracassos a se defenderem contra certas tentações de natureza inferior, servindo como antídoto à vaidade e à devastação do amor-próprio excessivo.

Os Espíritos que suportam as vicissitudes da encarnação e aproveitam a oportunidade e todas as possibilidades que o vaso físico lhes oferece, mantendo-o saudável na medida do possível, bem como sua “vida útil”, não perdendo a oportunidade desperdiçando forças fisiológicas movimentando as energias em atividades inferiores que degradam a inteligência e embrutecem o coração, mobilizando a máquina humana como um operário fiel recebe, no plano espiritual, o título de COMPLETISTA.

O COMPLETISTA, por sua vez, poderá escolher, à vontade, O CORPO FUTURO quando desejar retornar à terra em missões de amor e iluminação, ou, receber o veículo enobrecido para prosseguimento de suas tarefas no caminho de círculos mais elevados de trabalho.

Aqueles, contudo, que alcançam a condição de COMPLETISTAS, não raro, solicitam providências em favor da existência sadia, preocupando-se com a resistência e equilíbrio, durabilidade e fortaleza do instrumento, pedindo medidas tendentes a lhes atenuarem o magnetismo pessoal em caráter provisório, evitando apresentação física muito primorosa, ocultando a beleza de suas almas para a eficiente garantia de suas tarefas. Os Espíritos amadurecidos que chegam à situação de “completistas” abandonam toda experiência que os possa distrair no caminho da realização da Vontade divina.

No serviço de recapitulação ou de tarefas especializadas na Terra, a reencarnação nunca pode ser vulgar. O corpo humano não deixa de ser a mais importante moradia para os Espíritos, o qual foi classificado por Jesus como o Templo do Senhor. Para desempenhar tarefas com probabilidades de êxito linhas impecáveis da forma física podem ser impeditivo. A perfeita harmonia física, em razão do imenso perigo da sedução carnal, impede reaver patrimônio espiritual de grandes proporções. A fealdade corpórea poderá ser exigida em muitos casos de redenção do Espírito para a Eternidade.

Não se deve ignorar que todos os enfermos da carne são almas em trabalho de ingente conquista de si mesmas. No processo evolutivo é impossível trair as Leis Divinas, uma vez que a Vida é uma Sinfonia Perfeita. Todavia, mesmo sabendo que a Justiça cumpre sempre, logo que o Espírito se disponha a precisa transformação conforme os exemplos do Cristo atenua-se o rigorismo do processo redentor, pois, rememorando Pedro “o amor cobre a multidão de pecados”.

A existência humana não é um ato acidental. No plano da ordem divina, a Justiça exerce o seu ministério todos os dias, obedecendo ao alto desígnio que manda ministrar aos dos da vida: “a cada um por suas obras”.

XAVIER, Francisco Cândido. Missionários da Luz. Obra ditada pelo Espírito André Luiz. Brasília: FEB, 2013.

Nenhum comentário:

GÊNESIS, PAULO DE TARSO, JOÃO E NÓS: A CAMINHO DA LUZ

Os antigos referiam-se à Criação usando expressões contendo uma ideia concreta, fazendo referência a evento que ocorreu pela primeira vez ...