ESTUDO DA DOUTRINA ESPÍRITA – O LIVRO DOS ESPÍRITOS – LIVRO SEGUNDO – MUNDO ESPÍRITA OU DOS ESPÍRITOS - PARTE 61


– CAPÍTULO VII – RETORNO À VIDA CORPORAL 

– III – FACULDADES MORAIS E INTELECTUAIS –


 – (Questões: 361 a 366) –



Ensinando sempre que a Fé deve ser Raciocinada e não cega, os Espíritos afirmam que as qualidades do Espírito se revelam na personalidade humana.

Não existem Espíritos maus, há Espíritos IMPERFEITOS. Quer dizer: não existem demônios.

Estes seres imperfeitos apresentam-se com caráter estouvado, esperto ou malfazejo. 

Nenhuma “paixão” é estranha à natureza humana.

A moral e a inteligência do Espírito apresentam-se na personalidade humana.

A diferença entre evolução moral e inteligência não significa a existência de “dois Espíritos”.

O Espírito encarnado não avança simultaneamente em todos os sentidos e na mesma velocidade.

Num período avança em Ciência (conhecimento), em outro em moralidade.

O Espírito é dotado de personalidade e identidade única.

As diversas faculdades que possui são manifestações do acúmulo de experiências nas diferentes encarnações.

A diversidade de faculdades não torna o Espírito um ser múltiplo. Essa teoria tornaria o ser desprovido de responsabilidade.

Seria negar a Lei de Causa e Efeito, bem como a Lei de Ação e Reação.

A regra “a cada um segundo suas obras” é uma LEI DIVINA INDERROGÁVEL.

Nenhum comentário: