- ESTUDO DA DOUTRINA ESPÍRITA - O LIVRO DOS ESPÍRITOS – LIVRO SEGUNDO - PARTE 74


– II INFLUÊNCIA OCULTA

 DOS ESPÍRITOS SOBRE

OS NOSSOS PENSAMENTOS

E AS NOSSAS AÇÕES – (Q-459 a 472) –


De ordinário são os Espíritos que nos dirigem!


Conhecida expressão no meio espírita, é uma resposta sobre a influência dos Espíritos em nossos pensamentos e ações. Há em cada ser uma luta: são os pensamentos contraditórios. Uns oriundos de nós mesmos, outros emanados dos espíritos. São duas ideias que se combatem.

Pensamentos sugeridos são como uma voz que fala em nosso interior. Os pensamentos próprios são os que ocorrem no primeiro impulso. Para a tomada de decisão não é necessário de quem partiu o pensamento. É muito mais útil agir sempre se decidindo pelo bem. Do contrário, escolhendo o mau, aumenta a responsabilidade.

A melhor baliza é agir sempre pelo bem, tendo em vista que a velha crença de que o primeiro impulso é sempre bom supera-se com o conhecimento espírita. Os pensamentos de cada espírito, encarnado ou não, segue seu grau evolutivo (a natureza do espírito encarnado: se bom ou mau).

Sugestões maléficas provêm de espíritos inferiores. Espíritos bons não aconselham senão o bem. Os Espíritos inferiores induzem ao mal em razão de fazer e ver os outros sofrerem, tendo, nesses casos, inveja daqueles seres mais felizes. Mas, é sempre bom lembrar que os sofrimentos experimentados são os que decorrem da própria ordem inferior a que o espírito em sofrimento pertence, bem como por seu distanciamento do Criador.

A verdade é que NÃO É DEUS que permite que os Espíritos sejam influenciados por outros. Isto decorre do grau de inferioridade a que o espírito pertence. A evolução espiritual acontece por meio de experiências por que passam os espíritos, a fim de que progridam na ciência do infinito.

O conhecimento do mal ocorre quando o espírito descobre que existem outras soluções no bem. Passa, então, a possuir a opção entre seguir um ou outro caminho. Até então, não passam de experiências. Quando o Espírito passa a ter vontade de praticar o mal atrai os Espíritos inferiores que vêm em seu auxílio para sua prática. É o que se chama de SINTONIA e PREFERÊNCIA. Como a influência dos Espíritos é permanente, da mesma forma que há os que induzem na prática do mal, há, também, aqueles que buscam influenciar para a prática do bem, a fim de que a balança fique equilibrada. CABE AO ESPÍRITO ENCARNADO DECIDIR QUAL CONSELHO SEGUIRÁ.

Para se afastar dos Espíritos que induzem ao mal é o bastante mudar o pensamento e o sentimento, pois, os Espíritos Inferiores desencarnados são atraídos em razão da sintonia e preferência do Espírito Inferior encarnado. Com a modificação da sintonia os Espíritos maus são afastados, mas, ficam observando até que surja oportunidade de retornarem. A forma de neutralizá-los será praticar o bem e colocar toda a confiança em Deus.

Em contato com os Espíritos é necessário desconfiar daqueles que excitam as más paixões, exaltando o orgulho, pois, suas ações são voltadas para atacar as fraquezas humanas. São as chamadas tentações que induzem à prática do mal.

Não há Espíritos que tenham recebido missão de fazer o mal. Os Espíritos se reúnem em “famílias”, “grupos”, “graus”, “ordens”, que refletem semelhantes pensamentos e sentimentos. Por isto, todo mau espírito é atraído pela vontade, sintonia e preferência.

Após nossos contatos com os Espíritos após o sono é possível experimentar, na maioria das vezes, sentimentos diversos, tais como angústia, ansiedade ou satisfação, dentre outros, que não decorrem tão somente por disposições físicas.

É importante que o Espírito encarnado descubra quais são os desejos próprios, suas paixões, e suas ambições, pois, além das circunstâncias que os Espíritos Inferiores aproveitam, também provocam a ocorrência destas circunstâncias. Seu método é usar o objeto da ambição daquele que está sendo atacado. Este, por sua vez, será influenciado por Espíritos Bons. Nesse caso, possuirá escolha entre o bem e o mal caminho.

E então, você já sabia sobre a influência dos Espíritos sobre nossas ações? Realmente, são eles que nos dirigem mesmo. Cabe a cada um de nós afastarmos as más influências por meio da modificação da sintonia e da preferência que acontece quando o pensamento e o sentimento é voltado para o bem e sua prática.

Abraços, e até o próximo tema!

Nenhum comentário:

ESTUDO DA DOUTRINA ESPÍRITA – O LIVRO DOS ESPÍRITOS – LIVRO SEGUNDO – PARTE 82

– CAP. IX – INTERVENÇÃO DOS ESPÍRITOS NO MUNDO CORPÓREO – XI – DOS PACTOS – (Questões: 549 a 550) – Paira em torno do Esp...