Seguidores

segunda-feira, 19 de abril de 2021

DEUS - O PRIMEIRO MOTOR

 

Quem não se recorda da primeira questão que antecede as mais de uma milhar contida em O Livro dos Espíritos? 

Entrevistando os Espíritos Superiores, Allan Kardec fez a seguinte indação: QUE É DEUS? E eles responderam: "A Inteligência Suprema, Causa Primeira de Todas as Coisas".

Quando se estuda um período de aproximadamente 600 anos antes da nossa era, depara-se com um dos mais conhecidos e consagrados filósofos da antiguidade: Aristóteles. Originário da Macedônia, Grécia, viveu entre os anos 384 e 322 a.C. Estudou na academia de Platão (Atenas), ficando por lá cerca de 20 anos. Depois da morte de Platão se casa e retorna para a Macedônia, onde foi nomeado pelo Rei como tutor de seu filho Alexandre, então com 13 anos. Esse último ficou conhecido como conquistador: Alexandre o grande.

De volta a Atenas esse filósofo fundou sua própria escola de filosofia: o Liceu. Entre contradições que acompanham vários destes pensadores, Aristóteles apresentava as suas. É que, apesar de pedir a libertação de seus escravos em testamento, foi Aristóteles quem disse: "aqueles cativos são escravos por natureza".

Pai da denominada lógica dedutiva ou silogística, esse pensador contribuiu com muitas outras questões fundamentais fazendo as suas proposições.

Nos interessa sua influência no trabalho de Kardec. Parece que sua contribuição para a ciência filosófico-espírita não ficou somente adistrita ao fato de que sua metodologia científica de observação e classificação (indução e dedução) teria sido usada por Kardec no trabalho de Codificação da Doutrina dos Espíritos (vide, por exemplo, a escala espírita).

O pensamento aristotélico, a nosso ver, teve influência poderosa naquele trabalho. Estudando esse filosófo vamos verificar que Aritóteles não se convenceu com a teoria de Platão acerca do mundo das formas.

Na sua concepção só as coisas individuais existem. Assim, afirmava: como cada acontencimento tem uma causa, se recuarmos até o começo dos tempos, chegaremos à conclusão de que deve ter havido a causa primeira, ou primeiro motor, alguma coisa parecida com um Criador Divino.

Na sua teoria a causa final refere-se à função em potencial. Os objetos possuem suas funções, assim como as plantas, os animais e os seres humanos. Contudo, afirmava que as funções desses últimos, diferentes das coisas, são muito mais complexas.

Diante dessa construção filosófica do pensamento de Aristóteles, recordamos a questão 132 de O Livro dos Espíritos: qual a finalidade da encarnação dos Espíritos. E eis que os Espíritos respondem: "[...] colocar o Espírito em condições de enfrentar sua parte na obra da Criação. [...]".

Portanto, ao meditar sobre essas informações, encontramos nesta reflexão a influência da filosofia no trabalho executado por Kardec sob ordens dos Espíritos superiores.

A teoria da Causa Primária, Inteligência Suprema se encontrando com a teoria da causa final, a inteligência relativa, cujo objetivo é chegar à perfeição por meio das sucessivas reencarnações, sempre tomando um aparelho em cada mundo para, daquele ponto de vista, cumprir as ordens de Deus. 

O Espírito, verdadeiro representante da humanidade, exercendo as mais complexas funções ao longo da eternidade.

Uberaba-MG, 19 de Abril de 2021.

Beto Ramos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente. Debatemos sem disputar.

DESTAQUE DA SEMANA

O ESPIRITISMO É DEÍSTA?

Há uma disseminação muito grande entre o denominado movimento espírita de que Espíritismo é religião . No entanto, parece haver total descon...

MAIS VISITADAS