A COERÊNCIA DAS OBRAS DO MÉDIUM FRACISCO C. XAVIER E A CODIFICAÇÃO ELABORADA POR ALLAN KARDEC





Para os estudantes sérios que procuram não só o conhecimento, mas, a consequência moral daquilo que apropria como conhecimento, apresentamos a perfeita coerência entre as obras mediúnicas de Chico Xavier e aquelas legadas por Kardec. De início, a coerência na execução do trabalho: todas as obras são fruto do ensino e revelações de Espíritos. Abaixo, apenas um exemplo de que temos um legado para alguns milênios de estudos pela frente.
 
Gênese Planetária[1] - “Na direção de todos os fenômenos do nosso sistema existe uma comunidade de Espíritos puros e eleitos pelo Senhor supremo do universo, os quais também dirigem a vida de todas as coletividades planetárias”. Por duas vezes reunidas, essa comunidade tratou dos problemas da organização e da direção do nosso planeta, sendo que a primeira referiu-se ao lançamento no tempo e no espaço das balizas do nosso sistema cosmogônico e os pródromos da vida na matéria em ignição do planeta.

Fluído Cósmico – Cocriação em plano maior[2] - [...] Nessa substância original, ao influxo do próprio Senhor supremo, operam as Inteligências divinas a Ele agregadas, em processo de comunhão indescritível, [...], extraindo desse hálito espiritual os celeiros da energia com que constroem os sistemas da imensidade, em serviço de cocriação em plano maior, de conformidade com os desígnios do Todo-Misericordioso, que faz deles agentes orientadores da Criação excelsa. Essas Inteligências gloriosas tomam o plasma divino e convertem-no em habitações cósmicas, de múltiplas expressões, radiantes ou obscuras, gaseificadas ou sólidas, obedecendo a leis predeterminadas, quais moradias que perduram por milênios e milênios, mas que se desgastam e se transformam por fim, uma vez que o Espírito criado pode formar ou cocriar, mas só Deus é o Criador de toda a eternidade. [...] A Engenharia celeste equilibra rotação e massa harmonizando energia e movimento, e mantém-se desse modo, na vastidão sideral, magnificentes florestas de estrelas, cada qual transportando consigo os planetas constituídos e em formação que se lhes vinculam magneticamente ao fulcro central, como os elétrons se conjugam ao número atômico, em trajetos perfeitamente ordenados na órbita que se lhes assinala de início.

Os Fluídos[3] - [...] os fenômenos nos quais o elemento espiritual tem parte preponderante, não podendo ser explicado unicamente pelas leis da matéria, escapam às investigações da ciência: é por isso que eles têm, mais que outros, os caracteres aparentes do maravilho. É, pois, nas leis que regem a vida espiritual que se pode encontrar a chave dos milagres dessa categoria. O fluído cósmico universal, como já foi demonstrado, é a matéria elementar primitiva, da qual as modificações e transformações constituem a inumerável variedade dos corpos da natureza (Cap. X). Como princípio elementar universal, oferece dois estados distintos: o de eterização ou de imponderabilidade, que esse pode considerar como estado normal primitivo, e o de materialização ou de ponderabilidade, que é, de certa maneira, consecutivo àquele. O ponto intermediário é o da transformação do fluído em matéria tangível; porém, ainda neste assunto, não há tradição brusca, pois pode-se considerar nossos fluídos imponderáveis como um termo médio entre os dois estados (Cap. VI, nº 10 e seguintes). [...] A matéria tangível, tendo por elemento primitivo o fluido cósmico etéreo, ao desagregar-se, deve voltar ao estado de eterização, assim como o diamante, o mais duro dos corpos, pode volatilizar-se num gás impalpável. A solidificação da matéria, na realidade, não passa de um estado transitório do fluído universal, o qual pode voltar ao seu estado primitivo quando as condições de coesão cessam de existir.


[1] XAVIER, Francisco C. A caminho da luz: história da civilização à luz do espiritismo / pelo Espírito Emmanuel; 38ª ed. Brasília: FEB, 2015. Pg. 13.
[2] XAVIER, Francisco C; VIEIRA, Waldo. Evolução em dois mundos / pelo Espírito André Luiz; 27ª ed. Brasília: FEB, 2013. Pg. 19/20.
[3] KARDEC, Allan. A Gênese: Os milagres e as predições segundo o espiritismo. Trad. De Victor Tollendal Pacheco; apresentação e notas de J. Herculano Pires. 24ª ed. São Paulo: LAKE, 2013. Pgs. 229 e 232.

ESTUDO DA DOUTRINA ESPÍRITA – O LIVRO DOS ESPÍRITOS – LIVRO SEGUNDO – MUNDO ESPÍRITA OU DOS ESPÍRITOS – parte

CAPÍTULO VIII EMANCIPAÇÃO DA ALMA IV LETARGIA, CATALEPSIA, MORTE APARENTE (Questões: 421 a 424) Neste item do capí...