Seguidores

quarta-feira, 8 de dezembro de 2021

A TEORIA DA QUEDA

 

O anacronismo consiste em atribuir a uma época ou a um personagem ideias e sentimentos que são de outra época, ou em representar em certas obras costumes e objetos de uma época a que não pertencem.

Isso acontece com bastante frequência entre os 'intérpretes' da Bíblia. As citações que constituem o conteúdo desse conjunto de livros foram, inicialmente, transmitidas oralmente. Quando de sua reunião, já foi devidamente comprovado, que os textos pertenciam a épocas diversas, não havendo uma cronologia entre os mesmos. Importante notar que o conteúdo de cada livro apresenta registros distintos. Existem narrativas, novelas, parábolas, contos, história, estória, poesias, cantos, entre outros.

Uma questão que bem comprova a nossa tese refere-se à QUEDA. Existem 'intérpretes' que afirmam estar o tema relacionado com as personagens Adão e Eva, cujo cenário seria a 'expulsão do paraíso', por cometerem o pecado da desobediência (o caso aqui é de expulsão do paraíso - Gn 3:1-24; o problema 'grave' é o fato de comer uma fruta do jardim).

A pergunta é: quando se fala em queda, a personagem que 'cai' é anjo ou é homem? Não é incomum verificar que, a partir dessas contradições, certo 'Lúcifer' surge como um líder  de uma rebelião dotado de forças semelhantes a Deus, constituindo seu reino na Terra.

O fato é que a questão QUEDA é tratada novamente no capítulo 6 do Livro Gênesis. No entanto, a expressões usadas serão: filhos de Deus e filhas dos homens. Conectando a ideia de QUEDA relativa á personagem Adão, o apressado já logo interpreta que esses tais filhos de Deus são, na verdade, descendentes de Sete em oposição àqueles do fratricida Caim.

Ora, Adão e seus descendentes são homens, portanto, todos filhos do homem. Qual a incoerência interna encontrada naquela solução apresentada? Está na compreensão do significado da expressão filhos de Deus. Quem vai dizer o que significa essa expressão no texto é o seu autor.

Primeiro, é importante destacar que o objetivo dos intérpretes é explicar todo o mal que há no mundo. Considerando que o relato do texto corresponde a uma verdade divina, o intérprete busca respostas nas narrativas bíblicas. Sem considerar o contexto, fica adstrito apenas ao texto.

A questão, agora, é responder: de onde vem essa teoria da QUEDA? Primeiro, é importante ficar claro que Adão foi 'expulso' (lançado fora) de um certo lugar na própria Terra (Eden, o jardim), ocasião em que para ele e sua família um porta se fechou para sí, sendo vigiada por um guardião e uma espada. Todas essas figuras são alegóricas e noutra ocasião veremos o que significam.

Se não se refere a Adão, vejamos as questões referentes aos filhos de Deus em Gn 6:1-8. Alguns intérpretes, como já mencionado, identificam esses com os filhos de Sete. Mas, esse significado fere o sentido linguístico da expressão idiomática daqueles que redigiram essa narrativa. O autor usa uma palavra pretendendo dizer algo, passar uma ideia. Qual é essa ideia?

Distante do judaísmo do Segundo Templo, não conseguimos promover uma interpretação sobrenatural das palavras filhos de Deus. Aliás, esse significado não é popular tanto no judaísmo quanto no cristianismo de hoje. No entanto, o autor do texto compreendia claramente que filhos de Deus eram seres angelicais e não humanos.

A partir destas informações começamos a perceber inconsistências na teoria de QUEDA. Não se refere a paraíso, pois Adão foi expulso e não houve QUEDA. Nem do ponto de vista moral. A expressão idiomática não pode ser apontada para os filhos de Sete, uma vez que seus filhos são humanos.

Não fica de pé a teoria de QUEDA, mesmo quando sabemos que o autor transmitiu uma mensagem que foi interpretada pelo judaísmo do Segundo Templo como uma referência a 'anjos'. Isto é, o texto de Gênesis que traz a expressão filhos de Deus está se referindo a seres angelicaisCorroboram com o significado 'anjo': 1 Pedro 3:19,20 e 2 Pedro 2:4-6 (Novo Testamento).

O anacronismo, a falta de conhecimento do verdadeiro significado das palavras, uma equivocada interpreteção que nada mais faz que juntar textos do livro Gênesis (Capítulos 3 e 6), bem como framentos de Cartas e Espístolas (v.g., Pedro e Judas) vão, a nosso ver, auxiliar que se suponha uma ideia QUEDA de.... 'anjos'.

Segundo nossos estudos Gn 6:1-8 faz referência ao conceito ou ideia sobrenatural da expressão idiomática 'os filhos de Deus', apesar de sua impopularidade nos dias atuais.

Finalmente, onde está a incoerência da interpretação equivocada da suposta existência de uma QUEDA DE ANJOS? 

1 Pedro 3:19,20: "No qual também foi e pregou aos espíritos em prisão; Os quais noutro tempo foram rebeldes [...]".

Judas 1:6: "E aos anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram sua própria habitação, reservou na escuridão e em prisões eternas até o juízo daquele grande dia".

2 Pedro 2:4-6: "Porque, se Deus não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo [...]. E condenou à destruição as cidades de Sodoma e Gomorra, reduzindo-as a cinza, e pondo-as para exemplo aos que vivessem impiamente".

Não houve QUEDA. Por meio do uso de seu livre-arbítrio, os "anjos' que se rebelaram contra Deus deixaram sua própria habitação. Não houve QUEDA. Os "anjos" pecaram. Vejamos o significado de PECADO:

Em hebraico, a palavra לְהַחטִיא (lehachti) significa errar um alvo, isto é, cometer um erroReferindo-se aos guerreiros de Benjamin, em Juízes 20:16 vamos encontra a expressão לֹא_יַחֲטִא (lo yachti). Esses guerreiros nunca erraram um alvo. Além do mais, essa expressão está conectada com a ideia, também, de purificação da casa.

Isto posto, recordando que essa interpretação é condizente com a parábola dos dois filhos contada por Jesus (parábola do filho pródigo ou parábola do filho egoísta) é possível afirmar que não houve QUEDA, pois ao cometerem um equívoco, esses Espíritos abandonaram sua habitação e foram em busca de experiências. Trata-se do uso da autonomia do Espírito em processo de evolução.

Em lugar de anjos, pensamos que são Espíritos apenas. Se vieram para a Terra e se juntaram às mulheres para formarem novos povos e nações é que precisavam reencarnar. Tudo em conformidade com as Leis Naturais.

Uberaba-MG, 08/12/2021
Beto Ramos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente. Debatemos sem disputar.

DESTAQUE DA SEMANA

OBJETO E CONTEÚDO DA OBRA O CÉU E O INFERNO DE ALLAN KARDEC

Segundo Allan Kardec, o leitor da obra O Céu e Inferno irá encontrar no seu título o objeto que será estudado. Apelidamos o livro de O céu e...

MAIS VISITADAS