Seguidores

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

QUEM SABE FAZ A HORA, NÃO ESPERA ACONTECER


"NÃO HÁ MESSIAS DE ARMA NA MÃO, JÁ ANUNCIAVA O CRUCIFICADO AO CANTAR O SALMO 22, O QUAL PREDIZIA O SOFRIMENTO QUE SOMOS CAPAZES DE IMPOR À VERDDE NO SEU ESPÍRITO MAIS PURO"


Eis-nos, novamente, diante de nossos velhos problemas de simpatia e desafeto, amor e ódio, fixados em ideias que não nos deixam entrever as luzes nesse grande túnel, envoltos nas paixões sombrias que nos levam, sem qualquer dúvida, para o abismo. Estamos diante da nossa queda bíblica individual. Sem aprender com os próprios erros cometemos os velhos crimes, sujamos as mãos com o sangue irmão e não aproveitamos os recursos oferecidos pelo tempo para a própria regeneração.

De fato, qual a missão da terra brasileira no mundo moderno?  Qual o sentido espiritual dessa missão? Qual será o seu grande momento no relógio que marca os dias da evolução da Humanidade? Quando o país começará a escrever a sua epopeia de realizações morais em favor do mundo? Quanto tempo no relógio da eternidade para que uma árvore transplantada floresça e frutifique em obras de amor para todas as criaturas? Nos discursos dos "novos religiosos" o Evangelho, ao contrário de ser um repositório de lições, não parece ser uma ficção de pensadores do Cristianismo?

Algo, talvez, de atual, podemos registrar nessas palavras: "Peçamos a Deus que inspire os homens públicos, atualmente no leme da Pátria do Cruzeiro, e que, nesta hora amarga em que se verifica a inversão de quase todos os valores morais, nos seios das oficinas humanas, saibam eles colocar muito alto a magnitude dos precípuos deveres"[1].

O sectarismo voluntarioso dos iluminados pela verdade desce ao sepulcro caiado da decadência, cuja degenerência não se mostra nos corpos nús que desfilam as verdades cristãs nas "sapucaís da eternidade", já de há muito conhecidas. Verdades não só escondidas como jamais praticadas pelo atual paganismo romano travestido de "moral da família".

Esse paganismo romano do século vinte e um, longe da moral evangélica, é a verdadeira imoralidade do bezerro de ouro, do machismo, da homofobia, do racismo, do feminicídio, da psicopatia que defende quaisquer crimes dos seus "mitos" para pedir a pena de morte para os que pretendam o direito de matar a fome recebendo do Estado a contrapartida constitucional de políticas públicas que tornam a todos minimamente iguais perante a Lei, uma vez que perante Deus são necessários os escândalos, mas, ai daqueles que os cometam.

Quem afirma a existência de um povo eleito mente descaradamente usando o artifício do engôdo. Incapazes de se tornar instrumento do esclarecimento caminham a passos largos para os desfiladeiros da destruição. Mas, aqueles, verdadeiros aprendizes do Evangelho, sinceros na crença e misericordiosos no agir, trabalham pelo nascimento da verdadeira cristianização da humanidade terrestre, onde, todas as filosofias e confissões religiosas abandonarão os símbolos de separação e de seita para o integral entendimento das recompensas da obra no bem.

Não há justiça nem caridade sem amor como fiel da balança.

Advertidos há algum tempo, até hoje as armas homicidas não foram ensarrilhadas. Travestidos de Pedros irresponsáveis não seguem o exemplo do Apóstolo guardando o florete e afastam a fé e a esperança dos que estão parados no caminho. Devotos da pirataria de todos os séculos, nações ambiciosas cuidam de matar as esperanças, invalidando possibilidades e destruindo tesouros. Confiamos que as potências imperialistas da Terra esbarrem nas mãos prestiosas e potentíssimas de Deus.

De fato, estamos diante da hora em que se ajustam os relógios do tempo, perante os quais toda injunção política humana, principalmente, a brasileira, tem atividade secundária, porque acima de tudo o universo prova, todos os dias, que a Lei vigente é a da interdependência, sinal da fraternidade universal.

Se para o Brasil foi transferida a árvore do Evangelho, que significa misericórdia, não somos senão os degredados matriculados na sua escola, aprendizes com o propósito de revivescer o Cristianismo. Três raças tristes: os simples de coração, os sedentos de justiça divina e os humildes e aflitos. Todos, entretanto, com sua responsabilidade pessoal nos feitos realizados durante as várias existências isoladas e coletivas. Vige a Justiça Divina onde cada qual receberá conforme os seus próprios atos.

O lívre-arbítrio não é cerceado, sem dúvidas podemos escolher fazer, não fazer, omitir, mas, o curso dos acontecimentos não são controlados por mãos humanas. Temos apenas o botão de partida, o funcionamento da máquina respeita um manual do qual não possuímos o mínimo conhecimento. O que não é apreendido pelas lições do amor, certamente o será pela dor e pela miséria.

É hora de resgatarmos a história brasileira com suas lições comovedoras dos ombros flagelados, fruto dos excessos do imperalismo e do orgulho injustificáveis de outras nações do planeta, cuja resposta foram por meio do sentimento de fraternidade, ternura e perdão.

Para os que leram até aqui, independente do sentimento que nutrem nesta hora grave da história brasileira, não há um pedido para baixar as cabeças de modo subserviente, mas, que se for necessário, pelo bem e pela ordem, caminhemos altivos pelos circos romanos que vierem a ser inaugurados.

A hora é agora, a confusão invade e ameça os céus da nossa pátria, é necessário compreender a imperiosa necessidade de união, a fim de que as energias étnicas modelem o Estado nacional afastando a vaidade dos homens públicos em suas trícas políticas, o que conduz à luta tenebrosa entre irmãos.

A VERDADE É QUE JUNTOS SOMOS MAIS FORTES.

Você respeita o meu amém, eu respeito o seu axé. Minha cultura e tradição não serve ao sectarismo, mas, à educação e o conhecimento que aproxima a diversidade. O Brasil não está acima de todos; O Brasil é para TODOS na acepção etmológica da palavra TODOS. O Deus acima de TUDO não é o da mitologia grega vencida por Abrahão, é o Deus único, que ama sem nada exigir de todos os viventes na Terra.

Uberaba - MG, 26 de Fevereiro de 2020
Beto Ramos

[1] (Ano 1938 - Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, prefácio de Emmanuel).

2 comentários:

  1. BOA NOITE!
    CONFESSO QUE MEU ENTENDIMENTO E POUCO! SOBRE O ASSUNTO MAIS ESTOU TENTADO ME APROFUNDAR E ENTENDER,POIS SEI QUE SE EU IGUINORAR O ASSUNTO'NAO VAI ENPEDIR A MIM E AOS MEUS DE SENTIR O PESO DO DESCASO.QUE JÁ NOS E VISÍVEL.
    ENTÃO!E SE ARMAR DE CORAGEM, ESCLARECIMENTO DOS FATOS E HONRAR A DEUS ACIMA DE TUDO .E FAZER O QUE PRECISA PRA SE MANTER"LIVRES" PRA MANIFESTAR OU TOMAR PARTIDO.
    POIS ATÉ AQUI! SEI QUE MUITOS LUTARAM POR ESSES DIREITOS.
    "DIREITO E IGUALDADE " É AGORA O ASSUNTO REQUER DE NOS POSICIOMAMENTO.
    PRA DAR CONTINUIDADE.
    AO QUE O CRISTO NOS PASSOU ! Me perdoe pela simplicidade das palavras! Espero ter conseguido expressar o que entendi .E obrigado por aqueles que não desiste de lutar por nós, os menos desenvolvidos e ESCLARECIDOS, E NOS INCLUIR E NOS ESCLARECER.PORQUE JUNTOS SOMOS MAIS FORTES.
    E ACREDITO QUE NO AGORA SEJA POSICIONAMENTO,SOBRE TUDO QUE VEM OCORRENDO.
    SOBRE OS RELATOS DE NOSSO AMIGO!
    QUE DEUS NÓS AMPARE SEMPRE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário. Suas palavras não são simples, são fortes. Espermos atingir e sensibilizar mais corações para reflexão e ação. Fraternal abraço.

      Excluir

Comente. Debatemos sem disputar.

DESTAQUE DA SEMANA

OBJETO E CONTEÚDO DA OBRA O CÉU E O INFERNO DE ALLAN KARDEC

Segundo Allan Kardec, o leitor da obra O Céu e Inferno irá encontrar no seu título o objeto que será estudado. Apelidamos o livro de O céu e...

MAIS VISITADAS