Seguidores

terça-feira, 6 de abril de 2021

JESUS DEU UMA MENSAGEM IMPORTANTE NA PÁSCOA. VOCÊ SABIA?

Um indivíduo citado por muitos e conhecido por poucos, de nome João (em tradução livre para nossa língua), conta uma história que nos convida à reflexão. A personagem central dessa história, conforme se depreende daquela narrativa, buscava atrair a atenção de um povo para que compreendessem melhor a vida, as coisas, as pessoas e a relação que essas buscavam manter com uma Força Suprema, mas, que Dela nada compreendiam. Muitos, hoje, declaram seguir essa personagem, mas, incompreensivelmente, agem de modo totalmente divergente de como ela ensinou e agiu.

A história contada por João passa-se mais ou menos assim:

“Estava próxima a Páscoa dos judeus, e Jesus subiu para Jerusalém. Encontrou no templo os vendedores de bois, ovelhas e pombas, e os cambistas sentados. Fez um açoite de cordas, expulsou todos do templo: tanto as ovelhas quanto os bois; também espalhou as moedas e virou as mesas dos cambistas. E disse aos que vendiam as pombas: Tirai estas coisas daqui. Não façais da casa de meu Pai casa de comércio. Recordaram-se os seus discípulos do que está escrito: O zelo por tua casa me devorará. Então interrogaram-no os judeus e lhe disseram: Que sinal nos mostras para fazeres estas coisas. Em resposta, disse-lhes Jesus: Destruirei este santuário e o levantarei em três dias. Então os judeus lhe disseram: Este santuário foi edificado em quarenta e seis anos e tu, em três dias, o levantarás? Ele, porém, dizia a respeito do santuário do seu corpo. Portanto, quando foi levantado dentre os mortos, recordaram-se os seus discípulos de que falava disto; e creram na Escritura e na palavra dita por Jesus”.

No dia 04.04.2021, domingo próximo passado, comemorou-se no Brasil a Páscoa. Como a maioria esmagadora da população compreende que essa data está relacionada com coelho e chocolate, certamente, não percebeu quanto à história contada por João, esclarecendo que sua fonte é o seu Evangelho, capítulo 2, versículos 13 a 22, qual seria o contexto enfrentado por Jesus.

Para compreender essa mensagem é preciso avançar no estudo das narrativas de João e observar um encontro muito singular que ele apresenta ao seu leitor. Trata-se do encontro de Jesus com a mulher samaritana. Naquele ponto da história é demonstrado que não compreendemos Deus e que não sabemos nos relacionar com Ele, uma vez que fazemos diferentes alianças ao longo da vida, verdadeiros casamentos e procuramos muito, mas, não nos encontramos com Deus. Tudo isso se resumindo no fato de querermos encontrá-lo onde ele não está e, por não compreendê-lo queremos adorá-lo de modos tão sui generis que não promovemos uma relação sincera e, acima de tudo, simples.

Por que Jesus, um judeu, foi se encontrar com uma samaritana, se judeus e samaritanos eram inimigos? Por que falou dos vários casamentos daquela mulher? O que isso simboliza? O que tem a ver a história dos templos dos samaritanos e dos judeus? Por que havia dúvida onde se deveria adorar a Deus? Se o "correto" seria no templo dos judeus ou no dos samaritanos?

São muitos detalhes que, ao que parece quem deveria conhecer essas nuances pouco ou nada sabem, ou, se sabem, buscam ensinar o contrário. Sem a intenção de mudar o objetivo desse texto, voltemos ao domingo de páscoa próximo passado, bem como à narrativa de João antes descrita. Se Deus não é adorado em Templos de pedra, se Deus é adorado em Verdade e Espírito, se é preciso conhecer um Deus como ensinou Jesus: O PAI, CRIADOR, se estamos buscando Deus onde Ele não se encontra, para que servem os Templos?

Certamente, como ensinou Jesus, não é para comércio, câmbio, mercancia, negócios. Não! O Templo deve ser LOCAL DE ESTUDO - Nada, além disto! Não é lugar de adoração, pois, o Pai é adorado em Verdade e em ESPÍRITO. A prova maior disto foi demonstrar que há vida após a morte, pois, realmente JESUS REERGUEU SEU TEMPLO EM TRÊS DIAS, pois, falava do SEU ESPÍRITO, conforme mostrou amplamente durante os dias que sucederam a crucificação. Se houver dúvida a respeito, o Apóstolo Paulo afirmou:

2Coríntios 5:1 – Estamos certos de que, se esta nossa temporária habitação terrena em que vivemos for destruída, temos da parte de Deus um edifício, uma casa eterna nos céus, não construída por mãos humanas.

Estamos numa pandemia com milhares de mortos aqui e no mundo. Mas, houve quem buscou reabrir “templos” nesse período e, principalmente, no dia da Páscoa, apesar do ensinamento cristão constante no Evangelho de João com as advertências de Jesus acerca do que não se deve fazer no “templo”.

Pra terminar, lembremo-nos de alguns fundamentos contidos no antigo e no novo testamento (se é que há dúvida):

Atos 17:24-25 – “O Deus que criou o Universo e tudo o que nele existe é o Senhor dos céus e da terra, e não habita em santuários produzidos por mãos humanas”.

2Crônicas 6:18 – “Todavia, na verdade, habitaria Deus com os seres humanos na terra? Nem os céus e os céus dos céus podem te abrigar; muito menos este templo que construí!”

Isaías 66:1-2 - Eis a Palavra do SENHOR: “O céu é o meu trono, e a terra, o estrado dos meus pés; sendo assim, que espécie de Casa me haveis de edificar? Tal Casa será o meu local de descanso?”

Uberaba-MG, 06 de Abril de 2021

Beto Ramos

3 comentários:

Comente. Debatemos sem disputar.

DESTAQUE DA SEMANA

A BENEFICÊNCIA

O Evangelho Segundo o Espiritismo traz um belo texto que exige de nós bastante reflexão, tal a profundidade do mesmo. Trata-se das instruçõe...

MAIS VISITADAS